O que é GitHub e como usar o GitHub sendo um freelancer

O

O GitHub é uma plataforma que tem como objetivo reunir diversos desenvolvedores e, assim, permitir que eles criem projetos coletivamente. As colaborações, relatos e códigos fornecidos pelos membros cadastrados no site têm revolucionado o mundo do trabalho coletivo. Mas para quem não é da área ou está tão por dentro, é normal se perguntar “o que é GitHub?”

Com mais de 65 milhões de desenvolvedores em sua plataforma, o GitHub é o sonho de qualquer freelancer que deseja se aprimorar, conhecer novos colaboradores e criar os seus próprios projetos.

Você quer saber o que é o GitHub ou como usar o GitHub da forma mais eficiente e proveitosa possível? É para isto que este artigo serve. Antes de tudo, falaremos sobre os princípios da plataforma. Depois disso, daremos algumas dicas para otimizar a sua experiência.

  1. O que é o GitHub e como funciona?
  2. Como você pode usar o GitHub?
  3. Como criar um bom perfil no GitHub?
    1. Apresente informação e projetos
    2. Foque no conteúdo
    3. Seja activo
    4. Crie um README

O que é o GitHub e como funciona?

GitHub é um portal que oferece a desenvolvedores o lugar para criar e armazenar seus códigos de forma organizada (e com diferentes versões) e colaborativa. Isso significa que equipes situadas em diferentes lugares do mundo podem trabalhar de forma conjunta e remota.

Há alguns aspectos que é preciso explicar para entendermos melhor o que é o GitHub. Em primeiro lugar, ele funciona na nuvem e permite que as pessoas interajam e trabalhem juntas de qualquer lugar do globo, em tempo real. Em segundo lugar, ele possui uma comunidade vasta, que abriga tanto experts quanto novatos, e a maior parte dos que estão por lá têm a) vontade de aprender e b) vontade de ensinar.

Em termos de funcionalidade, o GitHub criou um conceito que é conhecido como forking. Imagine que grandes projetos são como árvores, com galhos que derivam de outros galhos. Cada usuário pode fazer o download de um certo galho, digamos assim, para buscar formas de torná-lo melhor (o que cria, nesta analogia um pouco curiosa, um outro galho). 

Se alguém quiser contribuir para o desenvolvimento de um projeto, esta pessoa deve enviar uma solicitação para o criador dele. Se ele aceitar, o “galho” se torna oficialmente parte da árvore inteira. 

Este procedimento permite que os projetos cadastrados no GitHub cresçam de forma muito rápida e otimizada, dado o fato de que eles são frequentemente atualizados e revisados por diversas pessoas em pouco tempo. Quando muitas pessoas trabalham em um projeto, elas criam algo que nenhum programador poderia fazer sozinho – e num tempo bastante curto.

Há vários conceitos que é preciso aprender para trabalhar com o GitHub:

  • Repositório ou repository: o local de armazenamento de um projeto, onde são guardados todos os arquivos associados a ele.
  • Branch é o “ramo” que mencionamos no exemplo acima, onde pode se trabalhar sem alterar o projeto inicial. O branch que foi trabalhado pode entrar no projeto inicial depois de um pull request.
  • O pull request informa os colaboradores do projeto que houve alterações e é possível criar uma discussão sobre as mudanças.
  • Bifurcar, forkear ou forking é a opção de copiar um repositório existente e trabalhar em cima dele em uma versão independente

O GitHub utiliza Git para o controle de versão. O Git é o sistema de controle da versão mais usado entre os desenvolvedores do mundo. 

E para provar que o Git realmente é uma referência no diretório do freelancermap é  possível encontrar mais de 6.000 profissionais com conhecimentos Git, cobrando US$88 por hora em média.

Mas o que é o Git exatamente?

O sistema de controle de versões Git foi criado em 2005 pelo mesmo criador do Linux, Linus Torvalds. O Git permite que os desenvolvedores tenham uma interface clean para a gestão do código-base. 

Inicialmente o Git nasceu como um lugar onde se podia trabalhar o frontend, ou a interface do usuário, mas ele evoluiu para um sistema de controle de versões com funcionalidades completas. 

Seu objetivo é registrar mudanças nos arquivos de um computador e apoiar na coordenação de trabalho que um grupo faz nos arquivos.

Git e GitHub é a mesma coisa?

Apesar de muitas pessoas pensarem que Git e GitHub são a mesma coisa, não há porque confundi-los. 

GitHub é a plataforma na web que oferece um serviço de hosting para repositórios na nuvem e facilita o uso do Git como a versão de controle e colaboração. Outros serviços de controle de versões muito utilizados no lugar do GitHub são o BitBucket e o GitLab.

Como usar github enquanto freelancer

Como você pode usar o GitHub?

1. Aprenda com os melhores

Se você ainda está começando a trabalhar na área e está em busca de conhecimento, o GitHub será de grande ajuda. Além de poder participar de projetos ou acompanhar o desenvolvimento de uma ideia que lhe parece interessante, você terá a possibilidade de conhecer e testar vários códigos diferentes. Ao utilizar a tag explore option, você pode ver quais são os projetos mais visualizados, ou seja, os que estão em alta. Aproveite para utilizar as variáveis disponíveis no site e filtrar projetos por tipo, linguagem, etc.

Você não precisa necessariamente contribuir com projetos para aprender. Às vezes, você descobre coisas incríveis ao fazer downloads ou observar como outros especialistas resolvem situações adversas.

Como se não bastasse, você ainda pode observar debates e fazer perguntas às pessoas cadastradas. Todas essas possibilidades fazem do GitHub a maior e mais ativa comunidade de programação do mundo.

2. Crie uma reputação

Se o seu possível empregador conhecer o mercado da programação, ele saberá o valor de um perfil no GitHub. Um link para o seu perfil na plataforma, na verdade, pode até mesmo servir como portfólio. Se você for capaz de demonstrar que é capaz de trabalhar com códigos de maneira vasta e inteligente, que trabalha bem em equipe e que possui diversos projetos distintos em sua trajetória, isto será muito valioso para a sua carreira (e para a sua reputação, que é o assunto deste tópico).

Lembre-se: dizer que sabe programar é fácil. Provar que sabe é a parte mais complicada e a que realmente vale.

3. Entenda que se destacar no GitHub pode ser considerado uma habilidade

Sim, saber mexer e trabalhar no GitHub pode ser considerado uma habilidade vantajosa. Muitas companhias já perceberam o potencial da plataforma e estão em busca de pessoas que sabem usar o GitHub para turbinar os seus projetos e jobs. 

As empresas estão lá e frequentemente buscam freelancers que possam participar de trabalhos maiores.

4. Ganhe dinheiro na plataforma

As ferramentas disponíveis no GitHub fizeram dele um mercado de freelancers. Se você buscar pela tag Codemill, por exemplo, você encontrará ofertas de trabalho lançadas por empresas e poderá se candidatar aos jobs que melhor se encaixarem nas suas habilidades e conhecimentos. 

Sim, a competição é bastante acirrada e você só receberá o dinheiro proposto se o cliente aprovar o seu trabalho. Mas serviços como o Codemill podem ajudá-lo a crescer dentro da carreira de freelancer, o que é bom especialmente para quem está começando. Tudo o que você precisa fazer é buscar a tag, ler o que está disponível e começar a trabalhar!

Como criar um bom perfil no GitHub?

Os recrutadores e empresas podem aprender muita coisa sobre você a partir do perfil do GitHub. Por isso é imprescindível ter um perfil organizado e que exponha suas habilidades e experiências como programador.

Um erro comum de muitos profissionais, por exemplo, é colocar muitos trabalhos, criando uma certa confusão e aparência de desordem. 

Pense na informação e que projetos são apresentados

O primeiro a fazer é criar seu perfil no GitHub e completar com todos os detalhes. Comece escolhendo uma foto de perfil, breve descrição ou biografia e crie links com páginas ou perfis sociais que são relevantes. Esse link pode ser seu perfil no freelancermap, LinkedIn, um portfólio de freelancer ou até seu site

Foco no conteúdo

Este ponto é fundamental para seu portfolio no GitHub. O conteúdo precisa ser consistente com seus interesses e os projetos devem ser apresentados de forma completa e funcional.

Tenha certeza que o código é legível. Adicione um README para todos os projetos, descrevendo a funcionalidade, propósito, alcance e até potenciais problemas e desafios.

Atividade

A ideia é que seu perfil seja ativo demonstrando um compromisso com sua carreira e perseverança. Então sempre atualize seu perfil e fique de olho para pegar pequenos erros.

Uma boa ideia é contribuir com projetos de outros desenvolvedores para ganhar visibilidade. Você também pode demonstrar apoio ao atuar como mentor e ajudar desenvolvedores com menos experiência.

Crie um README no seu perfil de GitHub

O GitHub adicionou a opção de colocar um README no perfil. Com essa funcionalidade é possível se apresentar com mais informações a potenciais clientes e a comunidade. O nível de personalização é muito maior e por isso é importante não desperdiçar esse potencial.

Que informações devo incluir no README do GitHub?

  • Indicar onde você trabalha atualmente
  • Informar se você está aberto para participar de novos projetos freelance
  • Compartilhar coisas mais pessoais como seus hobbies
  • Incluir imagens, gifs e outro tipos de mídia
  • Certificados
  • As estatísticas do seu perfil do GitHub

Todas essas coisas podem ajudar na sua marca pessoal.

Criar um arquivo README é muito fácil. Em primeiro lugar, crie um novo repositório público com seu nome de usuário ou com o ID da sua conta do GitHub. 

Ao criar o repositório, o arquivo README será criado em seu perfil e você pode começar a editá-lo se baseando no Markdown de GitHub.

Mas se você ainda busca inspiração há muitos usuários que criaram portfolios incríveis no GitHub com README. 

Perfil GitHub de Dan Bamikya
Perfil GitHub de Joran Quinten

Você usa o GitHub? Conte-nos mais sobre a sua experiência abaixo – queremos muito saber o que você tem a dizer!

Miguel Amado

Freelancer desde 2014, Miguel Amado é um criador de conteúdo, analista SEO e editor/apresentador de podcasts.

Escreva um comentário

Artigos recentes

Cookie Consent One Trust