Seguros para trabalhadores autônomos: o que vale a pena contratar?

S

Todas as pessoas e profissionais precisam de redes de proteção para imprevistos. A indústria de seguros existe para trazer produtos que amenizem esses momentos de incerteza e até dificuldade e não faltam opções para grandes empresas, comércios e até produtos pessoais que são desenhados para esses cenários.

Freelancers e autônomos também precisam proteger seus negócios. Graças ao seguros, eles podem proteger seu trabalho e equipamento. Existem muitos seguros para trabalhadores autônomos e freelancers, mas de que seguro você realmente precisa?

Para responder a essa pergunta, compilamos uma lista de diferentes seguros para freelancers e trabalhadores independentes e o que cada um deles implica.

De que seguro meu negócio freelance precisa?

Entretanto, quando se fala em ser um freelancer, não se pensa tanto em seguros. E comparado a outros países, em que a quantidade de freelas e esse modo de trabalhar são mais comuns, ainda há poucos produtos que se encaixam na categoria seguros para freelancers e tem grande utilidade.

Só que ao mesmo tempo que não há tantos produtos especialmente desenhados para autônomos e freelancers, são estes profissionais que estão mais expostos caso tenham um acidente ou não possam trabalhar por alguma razão. Afinal, não contam com a mesma proteção que um empregado com carteira assinada e um dia sem trabalho pode ser um enorme prejuízo.

Mas não fique desanimado. Um freelancer pode se proteger de diversas formas e vamos explorar algumas neste texto. Tenha em mente que nem todos os itens que vamos listar são ideais para todos os leitores, mas você poderá ter ciência e refletir sobre o que vale a pena para você.

Seguros para trabalhadores autônomos e freelancers

Seguros para trabalhadores autônomos e freelancers

1. Seguro por acidente

Este é um exemplo de seguro que não está diretamente ligado à atividade de freelancers, mas é importante que estes tenham essa cobertura. O acidente involuntário e não planejado que resulta em uma lesão ou até invalidez é vital para um profissional que não tem um salário fixo ou uma fonte de renda constante.

Poder ativar essa proteção e até ter ajuda no pagamento de despesas hospitalares é importantíssimo e como os valores não são altos, vale muito a pena o investimento.

2. Seguro de vida

Paralelamente, o seguro de vida também é uma compra muito importante, especialmente no caso de ter uma família, criando uma segurança para os filhos e cônjuge(s) no caso da perda de uma importante fonte de renda.

É interessante destacar que um seguro de vida não é acionado apenas em caso de morte. Existe, por exemplo, a cobertura DIH que é uma Diária para Internação Hospitalar caso o segurado precise ficar no hospital. Os seguros de vida podem variar bastante nas suas coberturas, por isso faça uma cotação completa pesando todos os itens.

3. Seguro de saúde

Novamente não falamos de algo específico para freelancers, mas que é importante contratar ou pensar sobre o assunto porque não há a possibilidade de uma empresa arcar com os custos, como acontece com muitos empregados.

O pagamento do seguro de saúde não arca com o prejuízo que é deixar de trabalhar por dias ou até semanas, mas evita a “dupla punição” para um freelancer que é ter que arcar com custos altos de uma internação ou cirurgia, por exemplo, e ainda não poder trabalhar para ganhar dinheiro.

💡 Se você é um nômade digital e viaja muito, convém obter um seguro saúde feito especificamente para trabalhadores remotos e nômades. O SafetyWing é um exemplo de um desses planos e tem produtos que podem cobri a pessoa em seu país e no exterior.

4. Seguro de carro e equipamentos

Este tipo de seguro, relacionado ao texto e, portanto, à atividade profissional, não se aplica a todos.

Mas caso os deslocamentos com seu veículo sejam necessários para sua rotina, ter um seguro de carro é primordial para não ter um enorme prejuízo em caso de um acidente sério ou roubo do veículo.

Ainda no campo das “posses”, os seguros para equipamentos específicos – computador, smartphone – também podem ser uma excelente ideia para evitar dores de cabeça em caso de roubo ou avaria. Freelancers que dependem desses aparelhos ou outras “posses” para fazer seu trabalho e investem altos valores nesses produtos podem procurar algo do gênero.

5. Seguro de Responsabilidade Civil Profissional

Este tipo de seguro não é tão conhecido como os citados acima, mas é muito usado por profissionais liberais como advogados, médicos e prestadores de serviço em geral.

A ideia é que a empresa de seguros providencie uma assistência jurídica e profissional para profissionais que cometeram um erro (não-intencional) e terão que lidar com consequências disso, como uma ação jurídica.

6. Pagar o GPS vale a pena?

Ao constituir uma MEI ou ME, o empreendedor precisa pagar o GPS (Guia da Previdência Social). Essa contribuição para o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) gera uma proteção para diversos contratempos como invalidez, doença ou acidente.

Também estão previstos pagamentos para:

Ou seja, a cobertura é extensa, mas o problema é que os valores são baixos e na grande maioria do caso insuficientes para manter o padrão de vida. Por isso é comum que profissionais optem por produtos de empresas privadas que complementam essa renda.

Entretanto, como o pagamento é obrigatório e é um direito receber o retorno, é importante saber que esses recursos podem estar disponíveis em um momento de dificuldade ou em dado contexto que impeça o profissional de efetuar seu trabalho.

Como saber quais seguros para trabalhadores autônomos são para mim?

O assunto dos seguros é complexo e como envolve contratos, muitas cláusulas e as famosas letras pequenas, profissionais e pessoas podem fugir do assunto e não contratar algo que é importante para elas.

Como há várias empresas atuando no ramo, faça uma boa comparação de preços e inclusive comente com os corretores sobre outras propostas e produtos para assim ter a melhor opinião e as condições mais favoráveis. Afinal o maior beneficiado será você.

Esperamos que este texto seja uma apresentação para algumas das possibilidades, mas o mais importante é que você vá buscar o que as empresas de seguro tem a oferecer. Uma conversa franca com um corretor pode também ser uma porta de entrada para os produtos que existem e quais são interessantes para sua área de atuação e suas necessidades.

*Observe que este artigo do blog não é um aconselhamento jurídico ou financeiro. Cada situação financeira é diferente. O conselho fornecido acima pretende ser geral e cada freelancer deve considerar sua situação financeira particular antes de tomar qualquer decisão.

Miguel Amado

Freelancer desde 2014, Miguel Amado é um criador de conteúdo, analista SEO e editor/apresentador de podcasts.

Escreva um comentário

Artigos recentes

Cookie Consent One Trust